Junho 2019

posted in: Diocesaninho | 0

sao pedro e sao paulo

CORRENTE DE ORAÇÃO

01/06Neste mês, rezemos por todos os jovens que estão desanimados em sua caminhada, para que possam se aproximar de Cristo e  reanimar-se no seu amor;

08/06Rezemos por todas as vocações, mas de maneira especial a vocação do matrimônio, para que os casais de namorados possam seguir firmes no discernimento dessa vocação e possam pedir auxílio e proteção de Santo Antônio;

15/06Rezemos pela celebração de Corpus Christi que se aproxima para que possamos celebrar o mistério da eucaristia, o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo da melhor maneira possível;

22/06Rezemos pela festa de São João, comemorada no dia 24, para possamos relembrar a importância e o compromisso que assumimos no momento em que fomos batizados;

29/06Rezemos hoje lembrando do dia de São Pedro, um dos padroeiros do CLJ, para que possamos como ele espalhar para todo o mundo a Palavra de Jesus Cristo.

 

Namoro Santo

namoro santo

 

          Muitas pessoas almejam, mas nem todas estão preparadas para abdicar do mundo e viver um namoro santo, afinal, o que é um namoro santo?

          E como vivê-lo?

          Namoro santo é o termo dado pela Igreja, para aqueles casais que vivem um relacionamento a três: homem, mulher e Deus, todos nós que estamos em algum movimento da Igreja, devemos ter como objetivo viver esse tipo de relação, mas porquê? Por que ela nos aproxima de Deus, ela faz com que seja feita a vontade do Pai e não a nossa e, é claro, faz com que não façamos as escolhas erradas, ou seja, que não tenhamos amores rasos. 

         Podemos viver um namoro santo, começando com a oração, convide seu (sua) parceiro (a) para rezar, aliás o namoro santo começa antes do próprio namoro, começa com o discernimento, rezando com a pessoa para ter a certeza que ela é a certa, então, inicia o relacionamento propriamente dito, sem se esquecer do centro de tudo, que é Deus. Muitas vezes, o mundo não entende esse relacionamento, porque vive-se a castidade, o namoro é um período de conhecer o outro, mas não o seu físico, conhecer quem a pessoa realmente é: seus medos, suas angústias, suas qualidades, seus anseios, o que faz a pessoa feliz, o que ela quer ser no futuro, onde quer estar, enfim, conhecer quem o outro realmente é.

          Vale lembrar, que o namoro é uma preparação para o matrimônio, e que isto deve ser discutido entre os namorados e deve constar em suas orações diariamente.

 

PADROEIROS DO MOVIMENTO

voce sabia


          Fala juventude, vocês sabem o porquê São Pedro e São Paulo são os padroeiros do movimento?

          Em 1974 o movimento foi fundado na Igreja São Pedro em Porto Alegre, pelo então padre Zeno Hastenteufel (atual Bispo da Diocese de Novo Hamburgo), a partir de um retiro preparado para os jovens crismandos.

          Desde então, São Pedro tornou-se o padroeiro do CLJ, não apenas por ser o padroeiro da Igreja de origem, mas também pela personalidade jovem que ele possuía. São Pedro, mesmo sendo discípulo de Jesus, agia por impulso e falava sem pensar. Até negou a Cristo três vezes por vergonha e para não ser condenado a morte.

          Além disso, ele tinha muitos altos e baixos na sua fé. Um exemplo claro disso é no Evangelho em que Jesus anda sobre as águas: “Então Pedro saiu do barco, andou sobre as águas e foi na direção de Jesus. Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!” (Mateus 14:29-30)

          Alguma semelhança com os jovens? Bastante! Assim como ele, passamos por vários altos e baixos na nossa fé e muitas vezes negamos a Cristo. Mas sempre devemos ter o desejo de se arrepender e buscar a Ele, para alcançar a Santidade e proteger a nossa fé, assim como Pedro. Por isso ele é o nosso padroeiro.

          Já São Paulo, depois de algum tempo, foi acrescentado como padroeiro do movimento por causa do seu espírito missionário. Paulo foi um homem que se lançou na missão de evangelizar todos os povos através de sua inteligência, testemunho e vivência no Espirito Santo, querendo em troca apenas aquilo que Deus lhe oferecia.

          O próprio se define como um missionário, e não achava tal função motivo de glória, mas muito pelo contrário, acreditava que tinha por dever pregar o Evangelho: “Ai de mim, se eu não anunciar o evangelho. Se eu o fizesse por iniciativa própria, teria direito a um salário; mas, já que o faço por imposição, desempenho em encargo que me foi confiado” (1 Cor 9, 16-17).

          Por isso, assim como Paulo nos ensina, devemos evangelizar de todo o coração, a fim de testemunhar o amor de Cristo. E por isto que Paulo é padroeiro do nosso movimento. Para ser exemplo aos jovens, para que nos coloquemos à disposição de Cristo e do CLJ, sempre que solicitado. 

          Que sejamos hoje e sempre jovens que buscam a Santidade e jovens apóstolos de jovens!

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

 

CARTA PASTORAL

O tempo e o coração de Jesus


          Estimados jovens e tios do CLJ, Eis que a metade de 2019 se aproxima com rapidez! E quanto mais pensamos no tempo, mais depressa ele escorre por entre nossos dedos sem que o possamos deter. Na eternidade, é o tempo quem vai nos ver passar sem poder nos segurar. O mais importante é recordar que o tempo, nesta vida, é um tesouro precioso do Senhor para nós. É nele que plantamos, vemos crescer e frutificar; é com ele que desenvolvemos nossos talentos, esperamos o joio crescer para arrancá-lo, perdoamos e aprendemos a amar. Mas trata-se de uma riqueza tão grande e misteriosa que enche nossa conta todos os dias para zerar assim que fecharmos os olhos para dormir.

          Exige, portanto, boa administração de nossa parte.

          Liturgicamente, a Igreja sempre nos propõe, à semelhança da natureza e suas estações, marcadores de tempo para que lembremos sempre do Senhor e suas maravilhas. No mês de junho, seremos presenteados com oito solenidades (as comemorações litúrgicas de maior importância), a saber:

          Ascensão do Senhor, no dia 02; Pentecostes, no dia 09; Santíssima Trindade, no dia 16; Corpus Christi, no dia 20; São Luiz Gonzaga, no dia 21 (padroeiro diocesano); Natividade de São João Batista, no dia 24; Sagrado Coração de Jesus, no dia 28 e; São Pedro e São Paulo, no dia 30. Destas, gostaria de me deter em apenas uma, a da última sexta-feira do mês.

          Nada pode nos confortar mais do que saber que Cristo, nosso Senhor, tem um coração. Se fosse apenas onipotência, poderia ser um Deus tirano; se fosse apenas amor, talvez não pudesse fazer nada por nós. Mas ambas, amor e onipotência, brotam do mesmo Coração amabilíssimo do Mestre, que tanto se importa conosco, a ponto de deixar-se rasgar pela ousada lança do soldado mais sem noção que a história conheceu. Quem seria tão temerário a ponto de abrir o coração de Deus? Não poderia Cristo tê-lo partido naquele mesmo instante para servir de lição aos que viríamos, que com Deus não se brinca? Poderia. Mas ali, nosso Senhor não quis outra coisa do que visivelmente deixar o acesso livre ao que tem de mais profundo, seu belo amor visceral e intimíssimo por ti e por mim. A fenda aberta é nosso esconderijo nas tribulações, nosso consolo no sofrimento, nossa identidade humana fundamental.

          Por tudo isso, a Igreja nos propõe que o dia do Sagrado Coração de Cristo seja um dia de reparar as nossas faltas ao preciosíssimo amor que Ele tem para conosco e que não conseguimos corresponder. Seria muito bom se pudéssemos cada grupo em sua paróquia, promover uma adoração ao Santíssimo Sacramento em reparação pelos pecados nossos e do mundo inteiro. É exatamente amar por quem não ama, adorar
por quem não adora, crer por quem não crê, esperar por quem não espera Nele. E assim, também o nosso coração vai se transformando no coração de Cristo, tendo os seus mesmos sentimentos (cf. Fl 2, 5), amando como Ele ama.

          Espero ansiosamente encontrá-los no dia 30, quando celebraremos nossos altíssimos padroeiros e teremos um dia de convívio, formação e alegria no Senhor. E, se Deus quiser, contaremos bem mais de 500 prés no nosso amado movimento. Ainda dá tempo. Mas a verdade é que, para amar a Deus somente temos o hoje (cf. Santa Teresinha). Ou nos decidimos a buscar os jovens que Deus quer hoje, agora, ou não o
faremos nunca. Já fomos nas turmas de crisma? Já panfletamos as escolas? Estamos rezando? Tornamo-nos amigos de quem vamos convidar ao grupo? Melhoramos a qualidade nas nossas reuniões? Redescobrimos a alegria de ser jovem cristão? Estamos atentos para convidar aqueles que já participam da Santa Missa? Qual foi a coisa mais ousada que fizemos para chamar a atenção para o Senhor?

Que Deus abençoe a todos!

padre maicon

Padre Maicon Gräeff
Diretor Espiritual Auxiliar do Movimento CLJ

 

SANTO DO MÊS

João Batista, grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados!

          Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista no dia 24 de junho. Santo que, juntamente com a Santíssima Virgem Maria, é o único a ter o aniversário natalício recordado pela liturgia.

          São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou seu nome ao seu pai, Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho. Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista, na qual, à beira do Rio Jordão ou Mar Morto, vivia em profunda penitência e oração.

           Pode-se chegar a essa conclusão a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pelo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”. O que o tornou tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor com pregações conclamando os fiéis à mudança de vida e ao batismo de penitência (por isso “Batista”).

          Como nos ensinam as Sagradas Escrituras: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).

          Os Evangelhos nos revelam a inauguração da missão salvífica de Jesus a partir do batismo recebido pelas mãos do precursor João e da manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Messias aparecesse. 

          Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, acabando decapitado devido ao ódio de Herodíades, que fora esposa do irmão deste [Herodes], com a qual este vivia pecaminosamente.
O grande santo morreu na santidade e reconhecido pelo próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista” (Mateus 11,11).

sao joao batista

São João Batista, rogai por nós!

 

 

DICAS DE LIVROS

          Santa Gema Galgani- A Flor da Paixão

santa gema

          Autor: Pe. Germano de Santo Estanislau| 464 Páginas |

          O livro conta a História de Santa Gema, uma Santa jovem que deixou que sua vida fosse totalmente guiada pela vontade de Deus. O livro conta a história de Gema desde sua infância e seus momentos de êxtase de amor na sua espiritualidade por Jesus. Mesmo na sua pequenez, Gema deixa todos de sua família encantados por tamanha pureza e anseio na busca de santidade. Neste livro encontraremos um grande incentivo para continuarmos firmes e fortes na caminhada de nossa fé, conhecendo está intercessora no céu que tanto sofreu, mas que tanto ofertou sua vida a Cristo.

 

 

DICAS DE FILMES

          Paulo, apóstolo de Cristo – Sua fé desafiou um império


          Ano: 2018 | 1h48 min | Direção: Andrew Hyatt

          O filme dirigido por Andrew Hyatt, trata-se da vida do Apóstolo Paulo, ressaltando as perseguições dos cristãos, sua última prisão e etc…
Enquanto está na prisão, Paulo relembra de toda sua trajetória, desde a época antecedente a sua conversão até após ela. O filme é uma biografia narrada e da grande ênfase ao amor pela Santa Igreja, pelos cristãos e por toda a humanidade.

          É um excelente filme para ser assistido e nos edificar na fé.

 

 

VOZ DO POVO

Padroeiro

          Padroeiro, tradicionalmente, é aquele santo ou anjo a quem é confiada uma localidade, instituição ou templo, para sua intercessão junto a Deus em favor daqueles que a ele recorrem, pela devoção que a comunidade manifesta. Até mesmo a constituição histórica, política e administrativa de várias cidades teve origem na vivência da fé que o povo carregava, o que mostra o caráter central que a religiosidade
tinha para as pessoas e que podemos tomar como exemplo para a nossa caminhada rumo à santidade.

          A santidade provém de Deus e se manifesta através das pessoas na medida em que se aproximam dele.

          Por isso os anjos e santos que no paraíso contemplam a face de d’Ele são de suma importância para o corpo da Igreja, que em comunhão, e orando uns pelos outros, inclusive nós aqui na terra, santificamos uns aos outros. Afinal de contas Ele não quer que nos salvemos sozinhos.

          O amor de Deus pressupõe relação, o que se dá também e principalmente através de atos concretos de caridade para com o próximo. Um bom dia simplesmente e um sorriso no rosto podem melhorar a vida de alguém, pois como diria Santa Teresinha do Menino Jesus , ”nada é pequeno se feito com amor”.

          Portanto devemos honrar e nos inspirarmos também na memória de nossos santos padroeiros, rogando a eles pela sua intercessão, em forma de oração, mas também nos inspirando neles, para apresentar a face jovem da Igreja, como jovens apóstolos de jovens.

          Desta forma, certamente, juntos alcançaremos a santidade.

 

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

maurivan

Maurivan dos Santos Giehl – São Miguel/DI

 

 

LITURGIA

A liderança de São Pedro

sao pedro

          “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; e eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” – Mt 16, 18-19 Cristo nos chama a ser como Pedro: líderes dentro da igreja, líderes que propagam o Evangelho e que sejam sal da terra e luz do mundo. São Pedro, apóstolo impulsivo, é o tipo de líder nato. Radical em sua sinceridade e praticidade, seu legado está mais
marcado pela ação do que pela reflexão. Pedro é um líder amoroso.

          É o tipo de discípulo que veste a camisa e encara a missão de corpo e alma. Sua personalidade é marcada pela ansiedade e intensidade; é simples e objetivo.

        Humildade é a palavra chave para um agir missionário onde a liderança se faz necessária e se concretiza como um ato autêntico de um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo.

          Simão Pedro tinha um temperamento que unia alguns contrastes; era forte e ao mesmo tempo fraco; corajoso e ao mesmo tempo emotivo; inteligente e ingênuo; capaz de dar a melhor resposta e de dizer a maior bobagem; podemos dizer que era uma pessoa totalmente humana. Pedro era pedra para construir e, também, para atrapalhar. Era o tipo de pessoa que costumamos chamar de “uma pedreira”. Mas, a
qualidade que integrava todos esses paradoxos é a de que: Pedro era uma pessoa absolutamente sincera.

São Pedro é o exemplo de como o Papa é um autêntico defensor da fé. Pode-se fazer uma lista enorme de muitos pecados que os papas já praticaram ao longo da história da igreja. Mas, assim como Pedro, apesar das misérias de cada um dos sumos pontífices, nenhum permitiu que as heresias ou uma vida longe da fé no único e verdadeiro Deus entrassem na vida da Igreja.

          E o aprendizado de Pedro culmina, com seu martírio. Após ser perseguido, segundo a tradição da igreja, foi crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como Jesus Cristo. Perceba que ironia: aquele que vacilava por fugir da cruz, encontra a glória de Deus na cruz de seu martírio. “Depois de toda uma vida servindo ao Senhor, acabou como o Senhor: na cruz. Mas não se vangloria: ‘Termino como meu Senhor!’. Não, pede ele: ‘Por favor, me coloquem na cruz com a cabeça para baixo, para que pelo menos vejam que não sou o Senhor, sou o servo’”.

          Sejamos nós, também, assim como São Pedro, pedras de edificações no mundo e na vida das pessoas. Sejamos jovem apóstolo de jovem, cumprindo o ideal do nosso movimento: formar cada vez mais líderes para o reino do Nosso Senhor Jesus e que possamos abrir mão de nossas vontades para colocarmo-nos a serviço do nosso grupo, a serviço do outro.


São Pedro, rogai por nós!


FONTES:


https://formacao.cancaonova.com/atualidade/comportamento/o-apostolo-pedro-era-pedra-para-construir-etambem-para-atrapalhar/
https://domtotal.com/noticia/1271635/2018/06/pedro-discipulo-e-lider/
http://diocesedeoeiras.org/noticiasigreja/sao-pedro-e-sao-paulo-exemplos-de-fe-e-evangelizacao/

 

PÓS

SABER PERSEVERAR A CONTRAGOSTO

“Sofre as demoras de Deus; Dedica-te a Deus.” Exorta o livro do Eclesiástico.

          Olá, queridos jovens e tios que participam desse movimento tão amado e querido por cada um de nós! Um dia recebemos o convite e atendemos ao chamado para participar de um “tal” CLJ e estamos aqui até hoje, mas há muitos momentos em nossa caminhada no Pós CLJ, em que nos pegamos cansados, sobrecarregados e estressados, e somos tentados a desistir de tudo, esquecendo o principal motivo de estarmos perseverando no movimento, Cristo.

          Talvez você até tenha dito em algum momento “Vou abandonar tudo!”; mas uma voz, aquela mesma, suave, porém, clara, que um dia encheu seu coração de alegria, continua ressoando sutil, e digamos, agora até incomoda, dizendo: “Não desista”. Essa é a hora de ser forte! A perseverança é necessária para que seus sonhos se construam. Perseverar, nos ajuda a correspondermos ao plano e ao chamado que Deus quer de nós, pois não é somente ter um encontro com Deus, mas permanecer com Ele.

          Antes de ter meu verdadeiro e profundo encontro com Cristo tive que perseverar muito mesmo que a contragosto, morei em duas cidades que vamos chamar aqui de A (antes do CLJ) e B (a de atualmente); Na cidade A fiz minha primeira comunhão, e logo depois a minha crisma, era uma criança muito participativa e engajada nas coisas da Igreja, mas foi onde também sofri muito, com desilusões, bullying, falta de empatia e cuidado, mas nunca deixei de ir a Santa Missa, fui convidada a entrar para o CLJ e diversas vezes rejeitei o convite.

          Quando me mudei para a cidade B deixei de ir a Santa Missa, e evitei ao máximo o contato com as pessoas e com os grupos e Movimentos, pois achava que elas seriam iguais aos da cidade A, o que me levou a entrar em uma “leve” depressão. Passados dois anos de mudança para B, fui convidada a entrar para o grupo de jovens do meu bairro, graças a ele voltei a participar da Santa Missa e voltei a ter amigos, depois de nove meses o grupo acabou, todos do grupo resolveram ir para o CLJ, eu mesmo com muito medo, resolvi ser forte e
conhecer o Movimento da cidade B e ver o que ia acontecer. Fui e gostei, ou
melhor, dizendo me apaixonei, foi o CLJ que me ensinou a amar, ter fé, paciência e perseverança, em 2 anos e 6 meses de movimento, assumi funções das quais ainda não estava apta pois não tinha mais jovens para assumir, corri atrás das coisas, cansei, me estressei, discuti e me sobrecarreguei, e hoje percebo o lindo significado da palavra PERSEVERANÇA…

          Assim como a minha historia teve um rumo completamente diferente graças ao sim que dei ao CLJ e a perseverança que tenho até hoje, muitos jovens podem ter suas vidas transformadas, mas para isso nós precisamos perseverar e não desistir daquele que tanto nos ama e faz por nós, Cristo. Assim como eu, permita-se novamente, e varias vezes se for necessário, ser gerado naquilo que Deus tem para você. Não desista do seu movimento,do seu grupo,da sua Fé dos seus dons, não desista das pessoas, dos seus sonhos. Não desista de você nem
de sua vida.

          Que Deus lhes conceda a graça de perseverar, e todo apoio necessário para o tempo que você esta vivendo. Deus abençoe!

 

PRÉ

ESPERAR EM DEUS

          Fala, povo de Deus! O assunto que viemos falar pra vocês neste mês é sobre a importância de esperar em Deus! E tem forma melhor de fazer isso, do que deixando que Ele guie nossos passos, ao invés de nós mesmos sermos nosso próprio guia?

          Deus sabe de todas as coisas, sabe quando e como as coisas devem acontecer. E nós temos essa ansiedade de querer saber das coisas no nosso tempo. Temos dificuldade de esperar, pois afinal, o Tempo de Deus, não é o mesmo tempo que o nosso! E, por não ser o mesmo que o nosso, devemos pedir a Deus que Ele nos ajude a compreender esta espera. Em um mundo que anseia pelo imediato, pelo agora, devemos nós sermos os primeiros a buscar a calmaria que é característica daqueles que conhecem a Cristo. Em nossas casas, em nossos grupos, em nosso trabalho ou escola, que possamos exercer esta entrega a Deus, ofertando nossas vidas a serviço de novas almas para o Seu Reino.

          A espera faz parte e é necessária. Devemos ter a nossa esperança em Deus e a Ele entregar os nossos anseios, as nossas dúvidas, o nosso coração nas mãos do Senhor.

          Certamente, vocês já ouviram aquela frase “O que Deus tem pra ti é muito maior do que tu possa imaginar” essa frase faz todo o sentido. Quantas vezes já nos machucamos por querer apressar as coisas? As vezes pensamos que Deus está demorando demais, mas devemos lembrar que Ele não retarda uma promessa, Ele não demora, Ele capricha! Deus tem coisas lindas pra cada um de nós. E pra vermos essas
coisas, devemos ter a paciência e a esperança em Deus.

          Continuemos firmes na caminhada, buscando cada vez mais entregar as nossas vidas nas mãos do Senhor.

Gostou! Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.