Juventude e Santidade

posted in: Diocesaninho | 0


CARTA PASTORAL


Qual é a origem e a Importância do Santo Rosário?

A origem do Rosário, segundo a tradição, está no costume dos antigos monges, de fazer suas preces, contando-as com o uso dos dedos das mãos ou mediante pedrinhas ou grãos. Na Idade Média (séculos X- XII), os fiéis costumavam rezar vários “Pais-Nossos” ou várias “Ave-Marias” consecutivos, quando não conseguiam recitar os 150 Salmos. Essa prática foi-se codificando e regulamentando aos poucos, chegando a sua forma atual no século XVI sob o Papa São Pio V (1566-1572), dominicano. Foi esse Pontífice quem determinou tanto o número de “PaiNosso” e “Ave-Maria” como o teor dos mistérios que os devem acompanhar.

O nosso Catecismo diz: “A piedade medieval do Ocidente desenvolveu a oração do Rosário como alternativa popular à oração das horas”. (n.2678)

São Pio V atribuiu a eficácia dessa prece à vitória naval de Lepanto, que, aos 7 de outubro de 1571, salvou de grande perigo a Cristandade ocidental contra a invasão dos turcos otomanos, muçulmanos, que pretendiam dominar a Europa e acabar com o cristianismo. Por isso, o Papa São Pio V instituiu a festa de Nossa Senhora do Rosário em 7 de outubro. A devoção foi mais e mais favorecida pelos Papas seguintes,
destacando-se Leão XIII, que determinou fosse o mês de outubro dedicado, em todas as paróquias, à reza do Rosário.

Arma para a conversão

Uma forte tradição na Igreja diz que São Domingos de Gusmão, enviado pelo Papa Gregório IX (1227- 1241), para converter os hereges cátaros na França, recebeu a visita de Nossa Senhora, que lhe apresentou o Rosário como a arma para a conversão dos hereges. São Domingos caminhava rezando o Rosário e pregando a sã doutrina da fé.

Há muito tempo, os papas valorizam e recomendam, vivamente, a oração do Rosário, especialmente os últimos papas, sobretudo a partir das aparições de Lourdes (1858) e Fátima (1917). Em Fátima, Nossa Senhora disse aos pastorinhos que “não há problema de ordem pessoal, familiar e nacional que a oração do Terço não possa ajudar a resolver”.

Leão XIII (1878-1903), em tempos difíceis, dedicou ao Rosário 16 documentos, sendo 11 encíclicas e uma constituição apostólica; Paulo VI dedicou três documentos ao Rosário; uma encíclica: Mense (29 de Abril de 1965), a qual recorda que “Maria é caminho para Cristo, e isso significa que o recurso contínuo a ela exige que se procure nela, para ela e com ela, Cristo Salvador, ao qual nos devemos dirigir sempre”.

Na carta apostólica de João Paulo II Rosarium Virginis Mariae, ele declara: “Percorrer com ela [Maria] as cenas do Rosário é como frequentar ‘escola’ de Maria para ler Cristo, penetrar nos seus segredos, compreender a sua mensagem”. É a minha oração predileta, disse João Paulo II.

“É a oração mais querida pela Mãe de Deus”

Em 10 outubro 2010, o Papa Bento XVI disse que o Rosário é “a oração mais querida pela Mãe de Deus, e que conduz, diretamente, a Cristo”. “O Rosário é uma oração bíblica, totalmente tecida pela Sagrada Escritura.

É uma oração do coração, em que a repetição da ‘Ave-Maria’ orienta o pensamento e o afeto para Cristo. É oração que ajuda a meditar a Palavra de Deus e a assimilar a Comunhão Eucarística sob o modelo de Maria, que guardava, em seu coração, tudo aquilo que Jesus fazia e dizia, e sua própria presença. A “Virgem do Rosário” recomendou, com insistência, a oração do Rosário todos os dias, para alcançar o fim da guerra.
O Catecismo diz: “A oração cristã procura, de preferência, meditar os
mistérios de Cristo, como na lectio divina ou no Rosário”. (n.2708)

São João Paulo II

São João Paulo II disse, na Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae, em 16 de outubro de 2002, no Ano do Rosário: “Em momentos em que estivera ameaçada a própria cristandade, foi à força dessa oração que se atribuiu a libertação do perigo, tendo a Virgem do Rosário sido saudada como propiciadora da salvação. O Rosário da Virgem Maria (Rosarium Virginis Mariae), que ao sopro do Espírito de Deus se foi formando, gradualmente, no segundo Milênio, é oração amada por numerosos santos e estimulada pelo Magistério.

Na sua simplicidade e profundidade, permanece, mesmo no Terceiro Milênio recém iniciado, uma oração de grande significado e destinada a produzir frutos de santidade. Mediante o Rosário, o crente alcança a graça em abundância, como se a recebesse das mesmas mãos da Mãe do Redentor”.

“Desde a minha juventude, essa oração teve um lugar importante na minha vida espiritual. A ele confiei tantas preocupações; nele, encontrei sempre conforto. Vinte e quatro anos atrás, no dia 29 de outubro de 1978, apenas duas semanas depois da minha eleição para a Sé de Pedro, quase numa confidência, assim me exprimia: «O Rosário é a minha oração predileta. Oração maravilhosa! Maravilhosa na simplicidade e na profundidade. […] Hoje, no início do vigésimo quinto ano de serviço como Sucessor de Pedro, desejo fazer o mesmo. Quantas graças recebi, nesses anos da Virgem Santa, por meio do Rosário.

Com efeito, recitar o Rosário nada mais é senão contemplar com Maria o rosto de Cristo”.

Texto retirado de:
Qual é a origem e a importância do Santo Rosário? (aleteia.org)


Indicado pelo:



PÓS


Como alcançar a santidade como missionário?

Não tem como falar sobre missão e não falar de Santa Terezinha do Menino Jesus, ela que é padroeira das missões, mesmo sem sair do Carmelo. Alguém que soube viver a sua santidade de forma intensa, entregando sua juventude inteiramente a Deus e servindo com alegria até o final da sua vida. 24 anos vividos, que para nós pode parecer pouco, mas que se medirmos pelas obras realizadas e pelas graças alcançadas, se convertem em uma vida frutuosa, cujo Senhor foi o centro do início ao fim.

A padroeira dos missionários sempre teve o desejo desmedido de ser missionária: “… quereria iluminar as almas como os Profetas, os Doutores, sentia a vocação de ser Apóstolo… Queria ser missionária, não apenas durante alguns anos, mas queria tê-lo sido desde o princípio do mundo e continuar até à consumação dos séculos”. Tinha o desejo de em tudo amar e servir e entendia que não temos um amanhã, é nossa missão amar o Senhor no agora, no hoje, algo que ficou marcado em sua conhecida frase: “Só temos o curto instante da vida para dá-lo ao Bom Deus.

Intercedia pelos seus irmãos missionários e estabelecia com eles pela oração e por cartas, como que uma fraternidade e missionariedade espiritual e universal.

Diante da vida de Santa Terezinha somos chamados a nos perguntar: “Como podemos alcançar a santidade como missionários? ” O Senhor nos propõe diferentes missões e cada uma na sua particularidade traz algo que devemos observar para alcançarmos a nossa santidade. O meio onde o Senhor nos colocou, a missão que Ele nos deu, onde Ele nos enviou. É aí onde devemos ser santos e santificar os demais, ainda que por vezes nos pareça difícil ou até impossível. Não importa o tamanho da nossa missão, mas se é feita com amor, as pequenas coisas, os pequenos gestos, as obrigações de todos os dias, e, principalmente, no cumprimento da nossa missão como Filhos de Deus é o amor que deve nos conduzir.

Foi devido a este intenso desejo de amar a Deus e de levar, através do amor, as pessoas até Ele que Santa Teresinha recebeu o título de padroeira das missões. Que possamos aprender a nos santificar e santificar os outros através do amor, abraçando as missões e cruzes que o Senhor nos propõe, pedindo a intercessão de Santa Terezinha e observando aquilo que ela nos ensinou: “Nada é pequeno se feito com amor”. Shalom!





LITURGIA


Antes de falar do pontificado em sí de João Paulo ll acredito que valha a pena falar da sua vida com os jovens como um simples padre pois esse amor aos jovens de Karol Wojtyła pois desde sempre teve muito em si essa alma de jovem e o entendimento da importância do jovem tanto na sociedade como na Igreja “a Igreja só será jovem quando o jovem for Igreja” .

São João Paulo ll em seus vinte e sete anos de pontificado sempre demonstrou um imenso amor pela juventude, tanto é que, na missa de inauguração de seu Ministério Petrino ao final da liturgia na praça de São Pedro, ele disse:

“Jovens vocês são a esperança da igreja e do mundo. Vocês são a minha
esperança” (cruzando o liminar da esperança,19) São João Paulo ll resgatou na juventude o que estava disperso no mais íntimo da alma: a Esperança. Como bom Pastor, ele mostrou que o caminho mais certo a se seguir não era: ódio, brigas, perseguições, revoltas, ataques… o que na época se tinha como comum. Mas sim, Ele nos ensinou que precisamos ser os protagonistas de um futuro mais igual e humano onde possamos transmitir e encontrar a paz e o amor. Nos mostrou que o único caminho de verdade e vida é o caminho rumo a Jesus. Pois, só em Cristo encontramos a fonte de vida que nunca se acaba. ” Fazei resplandecer a luz de Cristo nas vossas vidas! Não espereis por ser idosos , para vos empenhardes no caminho da santidade. A santidade é sempre jovem, como eterna é a juventude de Deus”. (JMJ Paris, 1997)

“Jovens, não tenhais medo de encontrar Jesus. Eu também tive 20 anos como vós. Gostava de praticar esportes, esquiar, apresentar peças de teatro. Estudava e trabalhava. Tinha sonhos e preocupações. Nesses anos já longínquos, em tempos que minha terra natal estava ferida pela guerra e mais tarde pelo regime totalitário, buscava o sentido da minha vida. E o encontrei seguindo o Senhor Jesus. O convite que hoje vos dirijo é: ‘Escuta.’ Não te canses nunca de exercitar-se na difícil matéria da escuta.

Escuta a voz do Senhor que te fala através dos fatos da vida diária, através das alegrias e das penas que a acompanham, das pessoas que estão ao teu lado.

A voz da consciência está sedenta da verdade, da felicidade, de bondade e de beleza”. (Viagem apostólica a Berna, Suíça, em junho de 2004).

Outro momento marcante dentro do pontificado de João Paulo ll foi a criação das jornadas mundiais da juventude que foram inspiradas em duas visitas do Santo Padre, uma e Paris na França e outra nos Estados Unidos onde o Papa tinha convocado os jovens a participarem da missa e da pregação que faria nos dois lugares e a resposta foi tão positiva que o papa que amava os jovens decidiu fazer um evento mundial para que os mesmos pudessem participar, ela acontece de 3 em 3 anos com a duração de aproximadamente uma semana e o local é decidido pelo Vaticano sem sendo uma edição na Europa e outra fora dela Queremos deixar uma letra de uma música que na nossa opinião resume o pontificado de João Paulo ll e seu amor pelos jovens.



VOCACIONAL


Ela é Maravilhosa!
No dia 02 de janeiro de 1873, nasce em Alençon, na França, aquela que posteriormente ficará conhecida como a “Florzinha do Carmelo” e cuja muitas almas cativará e conduzirá ao Céu através de seu pequeno caminho, conhecido também como “Pequena Via.”

Última criança dos nove filhos de São Luis Martin e Santa Zélia Guérin, Maria Francisca Teresa Martin era uma menina feliz e ativa. Porém, ao mesmo tempo, possuía um grande caráter emotivo, que fortemente foi abalado depois de perder a sua mãe aos tenros quatro anos de idade e que se agravou depois que sua irmã Paulina, escolhida como sua “nova mamãe”, partiu para o Carmelo.

Aquela que era alegre, tornou-se irritadiça e retraída, ao ponto de sofrer tremedeiras. Todavia, tudo mudou na noite de Natal de 1886, onde a pequena menina sentiu-se revestida da armadura de Cristo, transformando-se numa mulher de grande maturidade humana e espiritual. Foi nesse momento, em que Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face sentiu a necessidade de esquecer de si mesma, para ofertar a sua vida pela salvação das almas.

Aos quinze anos de idade, comunica a seu pai o chamado que recebeu de Deus para habitar no deserto que Ele tinha preparado para ela: o Carmelo.

A entrada de Santa Teresinha no Carmelo nos desperta para uma grande verdade, mas que ao mesmo tempo, pode parecer inalcançável: nós nascemos para Deus, para o Céu! Não há outro lugar onde o homem encontrará sua verdadeira felicidade. Para corresponder a esse chamado, Santa Teresinha deixa para nós o caminho da infância espiritual, redescoberto pela mesma através da leitura do Evangelho e na sua vivência em comunidade.

Incrivelmente, Santa Teresinha não precisou buscar grandes fontes para entender que a santificação não consiste pelo tamanho das ações, mas na intensidade que cada coisa é praticada, por amor ao próximo e à Igreja.

Ao olhar para a história dos grandes santos, Santa Teresinha enxergava um abismo muito grande, pois via-se muito frágil e incapaz de qualquer mérito. Por isso, deparando-se com a sua miséria, a menina recorreu ao amor misericordioso de Jesus, para que Ele mesmo realizasse a sua santidade. Porém, para isso, era preciso que, assim como uma criança, a alma confie e se abandone nos braços do Bom Deus e que este, como um elevador, levaria Santa Teresinha para o Céu.

Compreendeu que Deus quer derramar-se de uma forma gratuita e inesperada em cada ser humano, de forma que não é mais necessário crescer, mas continuar sendo pequeno. Dessa forma, a espiritualidade de Santa Teresinha nos ajuda a crescer na virtude da humildade!

Pedimos que Santa Teresinha do Menino Jesus nos ensine a viver a via da infância espiritual. Que possamos fazer desse lindo caminho, o nosso caminho de santidade para que, como frágeis crianças e incapazes de viver longe de seu Pai, nos abandonemos e confiemos, com humildade, no amor misericordioso de Jesus Cristo, que deseja derramar-se em cada um de nós e nos levar para o Céu!

Santa Teresinha do Menino Jesus e da Safra Face, rogai por nós!



MONTAGEM


“Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas”. Mt 19,14

O mês de outubro é repleto de festas em honra aos grandes santos da Igreja, santos estes que desde cedo tinham uma devoção especial à Virgem Santíssima, além disso, temos também alguns títulos de Nossa Senhora. De forma especial para nós, brasileiros, é o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira e rainha do Brasil e no dia 12 de outubro comemoramos também o dia das crianças. É uma grande alegria ter como intercessora dos nossos pequenos a mãe de Nosso Senhor.

Estamos vivendo em um mundo onde as nossas crianças não estão podendo ser crianças, estão tirando sua inocência através de um cotidiano totalmente mundanizado e do comportamento do adulto intermediador. Devemos cuidar de nossas crianças como Maria cuidou de seu filho Jesus, com amor, zelo, ensinar os pequenos o amor à Santa Igreja e amizade com seu anjo da guarda.

“Prestai atenção ao que faz Maria; imitai-a… e esse Deus de bondade recompensará vossa fé” – Santa Teresinha do Menino Jesus.

Devemos ter como exemplos grandes santos que seguiram o que Cristo nos pede e assim como os pequeninos foram puros de coração.

Recorrer a Nossa Senhora Aparecida como as crianças correm aos braços de suas mães a cada momento e confiar na intercessão de nossa Mãe Santíssima, assim como uma criança confia e procura conforto nos momentos de insegurança e medo.

Que Nossa Senhora Aparecida, rainha do Brasil, possa interceder por cada um de nós, nos ampararmos e nos guiar para que sejamos como as crianças para chegarmos ao céu.

Pedimos também a intercessão de todas as santas crianças que estão no céu, para que os corações e a infância de nossas crianças sejam preservados de toda a maldade, sigam puros e santos, buscando a Deus e crescendo em virtudes, graças e santidade.




PROMOÇÕES


Doces, travessuras,… Ou Santidade

Todos os anos, no final de outubro, ressurge em diversos lugares do mundo uma festa, que cada vez mais é conhecida no Brasil pelo nome importado de: “HALLOWEEN”.

Traduzida para a língua portuguesa como “dia das bruxas”, a expressão “Halloween” tem origem, na verdade, no calendário litúrgico da Igreja Católica. No qual, celebrava no dia 31 de outubro a chamada “All Hallows’ Eve”, que significa “a véspera da Solenidade de Todos os Santos”. A Igreja Católica em algumas décadas atrás, teve algumas alterações em suas datas, e a partir do ano de 998 d.C. a Igreja passou a ter duas data especiais (consecutivas) dedicas à lembrança dos que já partiram desta vida. Uma, em 1° de Novembro, para recordar todos os mortos que já estão no céu, contemplando a face de Deus (e por isso, são reconhecidos como Santos). E a outra, em 2 de Novembro, para recordar também os mortos que ainda podem estar no Purgatório.

Sempre existiu no coração católico, um sentimento de profunda solidariedade para com as almas dos falecidos, sendo esse o motivo pelo qual visitamos os cemitérios, rezamos, jejuamos e mandamos celebrar Missas. Contudo, uma prática mais esquecida, mas que também tem essa finalidade, é a de dar esmolas, e é ai que entramos na origem da famosa brincadeira “TRICK OR TREAT”, ou melhor, “DOCES OU TRAVESSURAS”.

No dia 31 de Outubro, a princípio, eram os pobres pedintes que batiam nas portas das casas das famílias, esperando delas receber o “pão das almas”, com o tempo, esse “pão das almas” foi sendo substituído por doces das mais variadas formas e sabores, os quais passaram a ser distribuídos para as crianças também. Acender uma vela dentro de uma abóbora então, você já viu? Possivelmente (em filmes e séries, provável)!

Essa outra tradição veio das visitas aos cemitérios cristãos, pois antigamente os cemitérios eram construídos ao lado das Igrejas, e seus terrenos eram muito limitados, a fim de dar espaço aos novos falecidos, os ossos dos antigos que ali já estavam há mais tempo eram direcionados a um lugar separado, onde, se ascendiam velas para se fazer orações.

E, quem nunca viu ou ouviu em lojas, filmes e diversos outros lugares, fantasias para esse famoso “dia das bruxas”? Pois então, trajes de demônios, bruxas, monstros e afins, que hoje as pessoas vestem para fins meramente mundanos. No início, esse costume era utilizado para catequisar as crianças (isso mesmo, catequisar!) e as ensinar sobre a fé, aprendendo sobre a existência dos demônios e do inferno, sobre a pena eterna devida pelo pecado mortal e a possibilidade real de condenar-se para sempre.

Hoje, no entanto, o que foi para os evangelizadores da época uma grande oportunidade de catequese para os povos. O que iniciou com a chegada de Santo Agostinho de Cantuária à Inglaterra, terminou se transformando, para as próximas gerações, um passo para um grande erro. A moderna festa de “HALLOWEEN”, que se espalhou ao redor do mundo, preservou pouquíssimo dos elementos originalmente cristãos, desprezando a intercessão dos mortos e o reconhecimento dos falecidos em Cristo. Sendo assim, o Halloween passou a NÃO ter mais um sentido Cristão.

É recomendado aos católicos, principalmente as famílias, que evitem tomar parte nessas comemorações e não permitam que seus filhos se caracterizem de bruxos, demônios e etc. Podemos até admitir, como dito antes, que a origem do “Halloween” seja católica, porém festeja-lo da forma mundana como ele é festejado hoje, se cria muito mais um mal que propriamente um bem. Todavia, para recuperar o costume original, em muitos lugares do mundo, paróquias, grupos e comunidades estão se mobilizando para retomar sua ideia inicial com o “HOLYWINS”, a Festa de Todos os Santos, o termo se traduz por “Santidade vence”.

Mas nós cristãos e jovens, podemos e devemos utilizar desta ocasião, em casa, na catequese, na comunidade e em nossos grupos, para restaurar o autêntico sentido católico do dia 31 de Outubro: Celebrar a véspera da Solenidade de Todos os Santos. Inspirando as crianças e jovens a imitarem o exemplo desses amigos de Deus e aspirarem ao destino eterno que eles alcançaram. Por isso, algumas sugestões do que podemos fazer neste dia:

1. Fantasias de santos: Que todos, crianças e adultos, se fantasiem de santos e cada um diga por que escolheu essa fantasia, o que mais gosta desse santo ou santa.

2. Doces com santinhos: Não dê guloseimas decoradas de Halloween para crianças que baterem à porta pedindo doces. Dê doces normais, enfeitados com carinhas sorridentes com auréolas; presenteie também com santinhos.

3. Desenhar os santos: Que crianças e adultos se entretenham fazendo e pintando desenhos de seus santos favoritos (não precisa sair perfeito) para colá-los na parede em exposição.

4. Contar histórias: Que cada um dos participantes se prepare antecipadamente para contar alguma história interessante, comovente ou divertida sobre algum santo.

5. Frases de santos por todo local: Coloque entre os avisos da Igreja ou em alguma parede do local papéis com frases favoritas de diversos santos, sobretudo, do santo padroeiro dessa igreja particular.

Agora pergunto-lhes novamente:

“DOCES, TRAVESSURAS… OU SANTIDADE?”

Que Maria seja sempre nossa Luz, até a próxima!



FOLCLORE


Neste mês de outubro comemoramos muitos santos que nos são tão queridos e amados, entre eles encontramos Santa Teresinha do Menino
Jesus (01/10) e São João Paulo II (22/10) que nos apresentaram de forma muito clara e concreta, quase como uma receita de bolo, como viver os nossos dias aqui para alcançarmos o Céu no fim da vida terrena.

A flor do carmelo mostra com a sua vida como as pequeninas coisas são tão belas e caras ao Senhor quando feitas com amor. O peregrino do amor teve um trabalho assíduo com a juventude, deixou muitos escritos entre eles a Teologia do Corpo que abre nossos olhos para a forma com que Deus quer que amemos uns aos outros.

Deixo a recomendação dos filmes de suas vidas para que possamos mergulhar no amor de Deus por meio destes santos. “Santa Teresinha do Menino Jesus” e “Karol, o homem que se tornou Papa”, ambos encontrados facilmente dublados no YouTube.

https://youtu.be/Dojejd7Rysg



Download Diocesaninho Outubro 2022


Gostou! Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.